Volume do setor de serviços cresce 0,6% na Bahia

Durante a realização do Festival Virada Salvador 2019 - entre 28 de dezembro e 1º de janeiro -, quase 461 mil turistas devem desembarcar nos principais canais de acesso da cidade (Foto: Amanda Oliveira/GOVBA)

O  volume do setor de serviços cresceu 0,6% na Bahia em agosto na comparação com o mês imediatamente anterior, livre de influências sazonais. Manteve-se, assim, em alta pelo terceiro mês consecutivo. Ainda assim, o resultado baiano foi o quarto menor crescimento dentre os estados com variações positivas nessa comparação e ficou abaixo da média nacional (+1,2%).

De julho para agosto, o setor de serviços teve alta em 21 dos 27 estados, com destaques positivos para Pernambuco (7,1%), Amazonas (6,4%) e Tocantins (4,0%). No outro extremo, Acre (-2,3%), Goiás (-1,2%) e Espírito Santo (-1,2%) tiveram as quedas mais expressivas.

Frente a agosto de 2017, o volume dos serviços na Bahia manteve-se em alta pelo segundo mês consecutivo (1,1%), após oito meses seguidos de queda (recuava desde novembro de 2017). Reduziu, porém, o ritmo de crescimento em relação a julho (quando havia avançado 4,2%). Foi o terceiro menor crescimento entre os estados, um pouco abaixo da média nacional (1,6%).

Nesse confronto, o volume do setor de serviços aumentou em 13 dos 27 estados, e os destaques positivos foram para Distrito Federal (8,1%), Amazonas (6,8%) e Mato Grosso (5,9%). Os dados são da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgada hoje pelo IBGE.

Apesar do desempenho positivo de agosto, os serviços na Bahia ainda acumulam queda de -3,5% em 2018 e de -3,0% nos 12 meses encerrados em agosto. Em ambos os casos houve reduções no ritmo de queda, mas o desempenho do setor se mantém negativo nesses indicadores há bastante tempo: no acumulado no ano, cai seguidamente desde fevereiro de 2017, no acumulado em 12 meses, recua desde setembro de 2015.

De janeiro a agosto de 2018, no Brasil, os serviços têm queda acumulada de -0,5%, com crescimento em apenas 5 dos 27 estados. Nos 12 meses encerrados em agosto, o volume do setor teve retração de -0,6% no país, com resultados negativos em 21 unidades da Federação.

Três das 5 atividades de serviços crescem na BA

Frente ao mesmo mês de 2017, em agosto de 2018 (+1,1%), três das cinco atividades de serviços pesquisadas apresentaram crescimento na Bahia. Os destaques, em termos de contribuição para o resultado positivo do setor ficaram, respectivamente, com Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (+6,3%) e Serviços profissionais, administrativos e complementares (+10,0%).

Os transportes são a atividade de maior peso na estrutura do setor de serviços na Bahia e tiveram, em agosto, sua terceira alta consecutiva. Já acumulam, no ano, crescimento de 1,2%, o melhor resultado.

Por sua vez, os serviços profissionais são a atividade que tem crescido de forma mais consistente ao longo do ano, no estado, com altas seguidas desde março e acumulando em 2018 expansão de 0,8%. Também têm peso importante na estrutura dos serviços baianos e reúnem um grupo diversificado de serviços, com grande peso daqueles direcionados às empresas (ligados às áreas jurídica, contábil, de segurança, assessorias e consultorias em diversos campos, por exemplo).

Por outro lado, os Serviços de informação e comunicação (-11,7%) continuaram como a principal influência negativa na Bahia. Eles se mantêm em quedas seguidas desde junho de 2017, acumulando retração de 13,2% no ano de 2018 – a maior dentre as atividades investigadas.

O grupo dos Outros serviços (-16,1%) também teve forte recuo em agosto e tem o segundo pior resultado no acumulado no ano (-4,7%).

Serviços ligados ao turismo crescem 

De julho para agosto, as atividades de serviços ligadas ao turismo na Bahia tiveram seu terceiro crescimento consecutivo (6,3%), acelerando o ritmo em relação aos dois meses anteriores (0,8% em junho e 1,1% em julho). O confronto com o mês imediatamente anterior é ajustado sazonalmente.

Foi o 5º melhor resultado dentre os 12 estados onde as atividades turísticas são investigadas separadamente e um desempenho superior à média do país (2,8%).

Frente a agosto de 2017, o turismo baiano também teve alta (5,7%). Foi o primeiro resultado positivo depois de seis quedas consecutivas nessa comparação (vinha recuando desde fevereiro), embora ainda esteja abaixo da média nacional (7,8%).

Em ambas as comparações, apesar dos crescimentos, a Bahia fica atrás dos dois outros estados do Nordeste onde o turismo é acompanhado separadamente: Pernambuco (7,3% frente a julho e 18,4% frente a agosto/17) e Ceará (7,1% e 20,8%, respectivamente).

Nos primeiros oito meses de 2018, o volume das atividades turísticas no estado se mantém negativo (-3,7%), a terceira retração mais intensa do país, onde, em média, os serviços ligados ao turismo avançam (1,0%). Nos 12 meses encerrados em agosto, o turismo baiano também apresenta retração (-1,9%), levemente pior que a média nacional (-1,7%).

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

15 − 3 =