Porto de Aratu bate recorde de faturamento no mês de agosto

O destaque do mês nas movimentações de Aratu foram os granéis líquidos, com alta de 43,23% (Foto: Ascom/Codeba)

O faturamento do Porto de Aratu-Candeias, administrado pela Codeba, atingiu o novo recorde, alcançando R$ 8,830 milhões, no mês de agosto. A média de faturamento por mês fica em torno de R$ 6,939 milhões. Segundo o diretor-presidente da Codeba, Rondon Brandão do Vale, foram realizadas várias ações de gestão portuária que impactaram no faturamento, principalmente, no Terminal de Granéis Sólidos (berço mais ocioso do Porto) e no pátio de estocagem. Na movimentação de carga e produtos, se destacaram a rocha fosfática e o enxofre.

A Codeba promoveu gestões junto aos operadores portuários para viabilização das cargas com menor influência de danos por questões climáticas, para retornar a operar no TGS I Sul e colocação das cargas no pátio. Duas operações de enxofre foram autorizadas e realizadas, sendo uma pelo duto da correia transportadora do TGS I, sem armazenagem, e a outra com carga no pátio de estocagem. Esta iniciativa impediu a fuga da carga para um terminal privado, além de desafogar a fila de fundeio.

Outra ação que foi favorável a este recorde foi a negociação, com a área de manutenção dos píeres, de um cronograma que reduzisse o impacto no tempo de paralisação dos berços para execução dos serviços, aumentando o tempo de ocupação dos terminais de sólido, postergando e alongando o prazo dos serviços necessários de manutenção.

Perspectiva para encerrar o ano

Rondon informou que até o mês de outubro há uma fila de chegada de navios, já em line-ups (escalados) pelas operadoras, que com os navios fundeados na Baía de Todos os Santos, vão gerar grande movimentação no Porto de Aratu-Candeias, devendo-se se estender até novembro/2018.

“Novas ações estão em curso para manter e até mesmo elevar o nível de faturamento até o final do ano”, disse o Diretor-Presidente. Dentre elas a integração dos sistemas pátio-balança e de comunicação com os operadores portuários; implantação da terceira balança; terceirização da mão de obra na pesagem das caçambas; informatização e digitalização de documentos e processos, o que vai agilizar o fluxo dos documentos e redução do tempo na fila das balanças e aumento do giro das caçambas; implantação de Câmeras OCE´s para melhorar a fiscalização no fluxo de veículos.

“Serão também implementadas a flexibilização e incentivos para tornar o pátio de estocagem mais atrativo, além de novas gestões junto a operadores portuários para atração de cargas e manutenção das já existentes, evitando a fuga de cargas do Porto de Aratu-Candeias para terminais privativos”, completou Rondon.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

quatro × 4 =