Abate de bovinos cai e o de frangos cresce no 1º trimestre

Apenas dez dos 26 ramos industriais tiveram crescimento de outubro para novembro, com destaque para os alimentos (Foto: ANPr)

No 1º trimestre de 2018, foram abatidos 28.899.011 frangos na Bahia, 2,22 milhões de cabeças a mais do que o abatido no 1º trimestre de 2017 (26.681.314), o que representa um aumento de 8,3%. Foi o terceiro maior crescimento em número de frangos abatidos, dentre os estados produtores, abaixo apenas de São Paulo (+7,1 milhões) e Rio Grande do Sul (+2,9 milhões). Os dados são das Pesquisas Trimestrais do Abate de Animais, Produção de Leite, Couro e Ovos referentes ao 1º trimestre de 2018, divulgadas hoje pelo IBGE.

Também houve crescimento (4,5%) em relação ao 4º trimestre de 2017, quando 27.647.888 frangos foram abatidos. Em todo o país, no 1º trimestre de 2018, foram abatidas 1,48 bilhão de cabeças de frangos, o que representa um aumento de 3,5% em relação ao trimestre imediatamente anterior e queda de 1,2% na comparação com o mesmo período de 2017.

O Paraná, que é o principal estado produtor de carne de frango do país em termos de participação (31,5%), reduziu o abate em 6,43 milhões de cabeças de frango no 1º trimestre de 2018, em relação a igual período do ano anterior, o que representa queda de 1,4% nesta comparação. A Bahia respondeu por 2% dos frangos abatidos no país, no 1º trimestre de 2018.

Abate de bovinos cai 3,6% em relação ao 1º trimestre de 2017

No 1º trimestre de 2018, foram abatidas 286.659 cabeças de bovino na Bahia, uma queda de 4,9% em relação ao 4º trimestre de 2017 (301.335 cabeças abatidas), e -3,6% que o abatido no 1º trimestre de 2017 (297.248 cabeças abatidas).

Na comparação com o mesmo trimestre do ano passado, a Bahia apresentou a quarta maior queda em número de cabeças abatidas (-10.589). Os recuos mais intensos ocorreram em Tocantins (-39.519 cabeças), Pará (-33.336) e Maranhão (-13.212). Em contrapartida, os maiores aumentos foram registrados em São Paulo (+125.559) e Mato Grosso (+89.666).

No país como um todo, foram abatidas 7,72 milhões de cabeças de bovinos sob algum tipo de serviço de inspeção sanitária, no 1º trimestre deste ano. Essa quantidade foi 4,2% menor que a registrada no trimestre imediatamente anterior e 4,4% maior que a do 1° trimestre de 2017.

Em comparação aos primeiros trimestres dos anos anteriores, o abate nacional de bovinos apresenta uma recuperação em relação aos últimos dois anos, aproximando-se do dado de 2015, quando foram abatidos 7,74 milhões de animais. A Bahia representa 3,7% do abate bovino nacional; Mato Grosso lidera, com 15,6% do total.

Aquisição de leite aumenta 27,1%

A aquisição de leite cru na Bahia foi de 112,019 milhões de litros no 1º trimestre de 2018, 7,4% maior que a do 4º trimestre de 2017 (104,287 milhões de litros) e 27,1% maior que a do 1º trimestre de 2017 (88,131 milhões de litros).

Na comparação com o mesmo trimestre do ano passado, foi o terceiro maior aumento entre os estados, em valores absolutos (+23,9 milhões de litros), abaixo de Paraná (+54,8 milhões de litros) e Santa Catarina (+50,1 milhões de litros).

Em todo o país, no 1º trimestre de 2018, a aquisição de leite cru feita pelos estabelecimentos que atuam sob algum tipo de inspeção sanitária foi de 6,0 bilhões de litros, primeiro aumento depois de três anos de quedas consecutivas nos primeiros trimestres. Em relação ao trimestre imediatamente anterior, esse volume foi 8,3% menor, mas, sobre o alcançado no mesmo período em 2017, se mostrou 2,4% maior.

A Bahia respondeu por apenas 1,9% do leite adquirido no país, no 1º trimestre de 2018. Minas Gerais seguiu liderando amplamente a aquisição de leite, com 25,7% do total.

Produção de ovos de galinha na Bahia cai

No 1º trimestre, a produção baiana de ovos de galinha foi de 10,8 milhões de dúzias, representando queda de 6,0% em relação ao 1º trimestre de 2017 (11,5 milhões de dúzias) e recuo de 7,7% em relação ao último trimestre do ano passado (11,7 milhões de dúzias). Em termos absolutos, a redução em relação ao 1º trimestre de 2017 na produção baiana de ovos (-684 mil dúzias) foi a segunda maior do país, menor apenas que a de Santa Catarina (-1,4 milhão de dúzias).

Em todo o país, a produção de ovos de galinha foi de 846,75 milhões de dúzias no 1º trimestre de 2018, representando queda de 1,3% em relação ao trimestre anterior, mas aumento de 7,1% no comparativo com o 1º trimestre de 2017.

A produção de 56,20 milhões de dúzias de ovos a mais, em nível nacional, no comparativo dos primeiros trimestres 2018/2017, foi impulsionada por aumentos em 21 das 26 Unidades da Federação com granjas enquadradas no universo da pesquisa. Os aumentos mais intensos ocorreram em São Paulo (+17,12 milhões de dúzias), Mato Grosso (+8,34 milhões de dúzias), Goiás (+6,24 milhões de dúzias).

O estado de São Paulo seguiu como maior produtor de ovos do país (29,7% do total); a Bahia representa 1,3% da produção nacional.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

8 + um =