Ação Global 2018 registrou 11.088 atendimentos em Salvador

O evento recebeu um público de 3.696 pessoas (Foto: Gilberto Jr/Coperperphoto/Sistema FIEB)

Apesar da chuva ocorrida na manhã de sábado e dos transtornos gerados pela greve dos caminhoneiros, que levou à redução da frota de ônibus em Salvador, em razão do desabastecimento de combustível, o Ação Global 2018, foi um sucesso. Pelo segundo ano consecutivo o evento foi realizado na Escola Sesi  Reitor Miguel Calmon, no bairro do Retiro, e recebeu um público de 3.696 pessoas.Das 9 às 16 horas, foram realizados 11.088 atendimentos.

Os serviços mais demandados foram os de saúde, incluindo exames oftalmológicos, orientações nutricionais e de prevenção de doenças crônicas; emissão de documentos – Carteira de Trabalho e 2ª via de Certidão de Nascimento, Casamento etc. –; e os de orientação judicial. Os estandes que ofereceram oficinas também ficaram lotados. Um dos mais concorridos foi a oficina de compostagem, em que os visitantes aprendiam a transformar resíduo doméstico em adubo orgânico. Muita gente também aproveitou para dar um toque no visual, utilizando os serviços de cabeleireiros voluntários.

O Sesi  aproveitou a temática do evento deste ano para reforçar a campanha de matrícula da Educação de Jovens e Adultos (EJA), que estão abertas até o dia 30, em todo o estado. Uma unidade móvel recebeu os interessados, deu informações sobre como funciona a metodologia de reconhecimento de saberes, que torna o curso mais interessante ao identificar os conhecimentos que o estudante já domina e focar naquilo que ele menos conhece, e inscreveu novos alunos. A EJA é oferecida gratuitamente pelo Sesi  à comunidade e permite a conclusão do ensino médio e do ensino fundamental a distância (EaD).

Dentre os que se inscreveram na EJA está cuidadora de idosos Artemisa Paulino da Silva, 46 anos, e sua filha, Rafaela Vitória da Silva Oliveira, de 19. Artemísia fez até a 4ª série do ensino fundamental e com a EJA pretende retomar os estudos e voltar a estudar para buscar outras possibilidades profissionais. O vigilante Georgene os Santos, 35, também se interessou em voltar a estudar e foi conhecer a proposta do Sesi . Saiu de lá com a matrícula realizada para retomar os estudos. Ele havia parado no 6ª série do ensino fundamental.

Educação, direitos humanos e sustentabilidade ambiental foram os pilares da 25ª edição da Ação Global, que aconteceu simultaneamente em 26 cidades brasileiras e no Distrito Federal. Parceria entre a Globo e o Sesi , a iniciativa já prestou cerca de 47 milhões de atendimentos ao longo de 26 anos.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

dois × um =