Equipamento dobra capacidade operacional no Porto de Aratu

Com a instalação de uma moega, parte das operações no Terminal de Granéis Sólidos (TGS2) será mais limpa, segura e com menor duração de tempo (Foto: Codeba/Divulgação)

A capacidade nominal das operações de fertilizantes no Terminal de Granéis Sólidos (TGS2) do Porto de Aratu-Candeias foi dobrada quando teve início o funcionamento da moega, retirada do cais do Porto de Salvador em meados do ano passado. O novo equipamento, utilizado na movimentação da carga, fez sua estreia no inicio deste mês, com a descarga de 8,8 mil toneladas de ureia, do navio Poladsie.

A instalação do equipamento Porto de Aratu-Candeias faz parte das iniciativas da Codeba visando segurança do trabalhador portuário e operações mais produtivas, sempre em consonância com as normativas da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq). O diretor da Intermarítima, Matheus Oliva, explica que o modelo é o único no segmento com duas fontes de alimentação simultâneas e automatizadas, atendendo aos mais elevados padrões de segurança e qualidade.

“Tanto para companhia como para nós, uma das vantagens é atender navios em menor tempo, eliminando filas e, consequentemente, tornando o Porto de Aratu-Candeias mais competitivo, frente à concorrência de outros estados”, destacou Matheus. O diretor frisou, ainda, a disposição da diretoria e equipe técnica da Codeba como indispensáveis para a consolidação do projeto.

Perfil de cargas

De acordo com o Anuário da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), lançado na última quinta, 15, os granéis sólidos responderam por 29,4% das operações no Porto de Aratu-Candeias em 2017, totalizando 2.032.968 toneladas. Já os granéis líquidos e produtos gasosos somam 70,6% do montante de cargas movimentadas, no total de 4.874.861 toneladas no ano passado.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

16 − 4 =