Capa > Negócios no Campo > Bahia firma nova rota de exportação do algodão para o exterior
A logística de transporte, desenvolvida ao longo do ano passado, foi implementada no dia 21 de novembro, com a exportação de uma carga de 200 toneladas de algodão embarcada rumo à Turquia
A logística de transporte, desenvolvida ao longo do ano passado, foi implementada no dia 21 de novembro, com a exportação de uma carga de 200 toneladas de algodão embarcada rumo à Turquia

Bahia firma nova rota de exportação do algodão para o exterior

Durante encontro  em São Paulo, o presidente da Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), Júlio Cézar Busato, e o gerente geral da Mediterranean Shipping Company (MSC), Guilherme Monteiro, avaliaram de maneira satisfatória a exportação de algodão baiano, via porto de Salvador, para o mercado internacional. A logística de transporte, desenvolvida ao longo do ano passado, foi implementada no dia 21 de novembro, com a exportação de uma carga de 200 toneladas de algodão embarcada rumo à Turquia. A maior parte da produção da região ainda utiliza o porto de Santos, em São Paulo, para as operações no mercado externo.

“Em função do sucesso no embarque do algodão do oeste da Bahia via porto Salvador, a expectativa é o incremento das exportações com a manutenção por parte da armadora das duas escalas semanais do porto de Salvador. Há a garantia na qualidade desta logística, sem atraso da entrega da mercadoria para os compradores de outros países”, explica Monteiro, da MCS.

Passada a fase de testes, o presidente da Abapa acredita que esta nova rota tornou-se realidade. “Vamos buscar este ano nos concentrar em aumentar o volume de algodão exportado e solidificar esta rota marítima para garantir maior segurança ao despachar o produto e maior rentabilidade do produtor com a redução dos custos logísticos, principalmente o frete rodoviário até São Paulo”, afirma. Pela MSC, também participaram do encontro, Isabella Masch, Cayo Silva e Luís Reis.

Além da associação dos produtores baianos e do armador MCS, líder global no transporte de contêineres, a abertura de nova de exportação via porto de Salvador também contou o apoio logístico da XinguAgri, da Louis Dreyfus Company, uma líder na comercialização e no processamento de produtos agrícolas; e do Grupo Wilson Sons, operador do Terminal de Contêineres do Porto de Salvador (Tecon). Em São Paulo, Júlio Busato também se reuniu com os representantes das tradings do mercado agrícola, com atuação na Bahia, a Empresa Interagrícola S.A (Eisa) e a Louis Dreyfus, que prometeram aumentar o volume exportado de algodão com escoamento pelo porto baiano depois de também de participarem do carregamento teste da nota rota internacional.

Share

Leia Também

Até o momento, a produtividade média da soja foi estimada em 56 sacas por hectare, a melhor já alcançada (Foto: Aiba)

Levantamento aponta boas perspectivas para a safra no oeste

Com clima favorável às culturas plantadas no oeste baiano, as perspectivas para a safra 2017-18 …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × um =

Share