Inflação pelo IPCA-15 mantém ritmo de desaceleração na RMS

Os alimentos estão pesando mais no bolso dos consumidores baianos neste início de ano (Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)

O  Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) ficou em -0,09%, em dezembro, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), mantendo o ritmo de desaceleração registrado em novembro (-0,03%) e abaixo da variação registrada em dezembro de 2016 (0,05%). O IPCA-15 da RMS este mês  foi bem menor que a média do país (0,35%) e a prévia da inflação mais baixa dentre as 11 regiões pesquisadas. Brasília (0,83%), Região Metropolitana de Porto Alegre (0,58%) e Goiânia (0,56%) tiveram as maiores variações do IPCA-15 no mês.

Com o resultado de dezembro, no acumulado em 12 meses, o IPCA-15 da Região Metropolitana de Salvador ficou em 2,35%, continuando a desacelerar em relação aos 12 meses encerrados em novembro, quando havia chegado a 2,49%, e ficando abaixo da média nacional (2,94%). Os dados foram divulgados hoje pelo IBGE.

Alimentação e bebidas puxam índice para baixo

Dos nove grupos de produtos e serviços que formam o IPCA-15, quatro tiveram reduções médias de preços em dezembro, na Região Metropolitana de Salvador: Alimentação e bebidas (-1,1%); Artigos de residência (-0,56%); Comunicação (-0,44%) e Habitação (-0,12%).

Com a maior deflação, os alimentos e bebidas (-1,1%) foram os grandes responsáveis pela queda do IPCA-15 na RMS em dezembro, com influência forte da redução dos preços médios da alimentação no domicílio (-1,29%). Os alimentos têm o maior peso nas despesas familiares da região metropolitana (quase 30,0%), por isso qualquer movimento do grupo tem grande impacto no índice geral de preços.

Nos primeiros 15 dias de dezembro, alimentos importantes no consumo diário das famílias tiveram fortes recuos de preços, como a farinha de mandioca (-5,45%), a cebola (-16,95%) e o açúcar cristal (-3,97%).

A alimentação fora do domicílio também apresentou queda (-0,66%), com influência importante das refeições fora (almoço ou jantar), que tiveram recuo de 2,10% na prévia da inflação de dezembro.

Passagem aérea  e gasolina 

Reproduzindo o cenário nacional, as despesas com Transporte (1,16%) exerceram a principal pressão de alta no IPCA-15 de dezembro, na Região Metropolitana de Salvador, influenciadas sobretudo pelo aumento da passagem aérea (21,0%) e da gasolina (1,70%).

Com o aumento desses itens, os Transportes (0,76%) também pressionaram a prévia da inflação no mês na RMS. Além deles, os artigos de vestuário (0,54%), com influência importante das roupas masculinas (1,90%), foram uma pressão de alta importante em dezembro.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

vinte − 12 =