Capa > Economia Baiana > Crise hídrica aumenta demanda por energia temporária no NE
Fundada em 2006, a Tecnogera é uma empresa especializada em soluções completas em energia temporária (Fotos: Divulgação)
Fundada em 2006, a Tecnogera é uma empresa especializada em soluções completas em energia temporária (Fotos: Divulgação)

Crise hídrica aumenta demanda por energia temporária no NE

O agravamento da crise hídrica na região Nordeste, motivado pela escassez de chuva dos últimos anos, fez aumentar a procura por soluções em energia temporária. Especializada em soluções completas em energia temporária, incluindo implantação e operação de plantas de energia, a Tecnogera vem incrementando a sua atuação na região Nordeste ao oferecer estruturas emergenciais para transposição de águas de reservatórios. Essas estruturas são responsáveis pelo bombeamento de água de um reservatório para outro ou para áreas mais elevadas. Para funcionar, as bombas utilizadas necessitam de geradores de energia, que são instalados em áreas próximas à água.

A expertise da Tecnogera nessa área vem sendo adquirida desde a fundação da empresa, que aconteceu há mais de 11 anos, mas ganhou um grande reforço há pouco mais de dois anos. Em 2015, quando o estado de São Paulo passou por uma de suas mais graves crises hídricas, os geradores da Tecnogera foram responsáveis pelo bombeamento de água da reserva técnica, conhecida como volume morto do Sistema Cantareira, reservatório responsável pelo abastecimento de mais de 8,5 milhões pessoas na Grande São Paulo.

Curi: “O uso de geradores acaba sendo a melhor opção neste cenário"
Curi: “O uso de geradores acaba sendo a melhor opção neste cenário”

A retirada de água desta reserva, localizada abaixo no nível das compotas, exigiu o uso de bombas flutuantes, responsáveis pela remoção e transferência de água das represas Atibainha, em Nazaré Paulista, e Jacareí II, em Joanópolis, para o Sistema Cantareira.

O uso de energia temporária também tem sido a saída para empresas dos mais diferentes segmentos e que necessitam tanto de água quanto de energia. Os geradores, além de bombearem a água dos reservatórios, também atuam como stand-by para o caso de interrupção no fornecimento de energia pela concessionária, o que pode comprometer a operação de indústrias e, consequentemente, a produtividade.

Vantagens

“O uso de geradores acaba sendo a melhor opção neste cenário, principalmente por ser uma fonte muito mais acessível de energia, seja por não terem o funcionamento constante, o que diminui custos, seja pela possibilidade de utilização de combustíveis com menor impacto ambiental do que as termoelétricas, como gás natural, por exemplo. Sem contar as ocasiões nas quais os locais onde as bombas estão instaladas possuem oferta escassa das redes fixas de energia”, explica Abraham Curi, CEO da Tecnogera.

Outra vantagem em operações emergenciais é a facilidade da instalação dos geradores, já que para colocar os equipamentos em funcionamento não é necessário estruturar projetos trabalhosos ou implementar linhas de transmissão. A agilidade é quesito fundamental para esse tipo de negócio.

Para estar ainda mais próxima de seus clientes do Nordeste, a Tecnogera inaugurou uma filial na cidade de Simões Filho, na Bahia. Os investimentos iniciais giraram em torno de R$ 15 milhões. Com uma filial em funcionamento no Rio Grande do Norte desde 2013, a expectativa da Tecnogera é aumentar, significativamente, a sua participação na região nos próximos anos.

Share

Leia Também

Geração alta ajuda a "aliviar" o sistema elétrico brasileiro, que enfrenta condições hidrológicas adversas (Foto: AlexandreMarchetti/Itaipu Binaciional)

Produção de Itaipu tem o quarto melhor outubro da história

Perto de atingir a marca de 2,5 bilhões de megawatts-hora (MWh) acumulada, em 33,5 anos …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × dois =

Share