Black Friday 2017: veja como se proteger contra as fraudes

A Black Friday  acontece amanhã, porém, as propagandas e campanhas online e já estão no ar há muito tempo. No entanto, antes de finalizar uma compra na loja ou na internet, alguns cuidados são fundamentais. Em casos de compras online, é preciso verificar se a loja realmente existe e quais as condições na hora da compra. No caso das lojas físicas, testar produtos de mostruário, certificar-se quanto a garantia oferecida e direito a troca são um bom começo.

Com a proximidade de uma data tão importante para o comércio brasileiro, a Proteste, Associação de Consumidores, separou algumas dicas para quem deseja fazer compras sem ter dores de cabeça.

Falso “Imperdível” –  Algumas lojas aumentam os preços dos produtos semanas antes da Black Friday, para simular um grande desconto, a famosa “metade do dobro”. Por isso, é necessário comparar os preços e acompanhar sua evolução com as ferramentas disponibilizadas pela Proteste (Plug in: https://maisbarato.proteste.org.br/ e http://www.proteste.org.br/black-friday). Em algumas ocasiões, o produto desejado custa mais barato fora desse período de apelo às compras.

A Proteste  monitorou os preços de mais de 800 produtos nas principais lojas virtuais do Brasil durante o último ano para ajudar o consumidor a diferenciar as reais oportunidades da Black Friday daqueles descontos falsos praticados pelo mercado nessa época e criou uma ferramenta inovadora.

A ferramenta, que vai auxiliar o consumidor a tomar a melhor decisão de compra, vai funcionar da seguinte forma: o consumidor informa o nome e o preço encontrado para o produto, a ferramenta compara com nosso histórico de preços e retorna um dos três resultados possíveis:

• Vale a pena comprar, pois o preço deste produto realmente está menor que o encontrado no último ano.
• Vale a pena comprar, apesar deste produto já ter sido mais barato no último ano, pois o preço ainda é atrativo.
• Não vale a pena comprar, pois o produto já foi encontrado mais barato.

Características do produto –  Caso o consumidor opte por comprar presencialmente nos estabelecimentos comerciais é aconselhável que ele teste os produtos antes de levar para sua residência, para evitar qualquer problema. Lojas que abrem mais cedo e produtos tirados da vitrine na hora da compra podem esconder falhas e defeitos que devem ser mostrados antes de finalizar a compra.

Juros e endividamento –  Antes de se deixar levar pelas ofertas o consumidor deve ponderar que o final do ano é um período de muitos gastos. É aconselhável aproveitar a primeira parcela do décimo-terceiro salário para, primeiro, quitar as dívidas. Comprar à vista é sempre um bom negócio, pois evita o superendividamento, ao mesmo tempo que oferece possibilidade de uma melhor negociação. Cuidado com parcelas a perder de vista com a falsa ilusão de preço “sem juros”.

Venda Casada – Independentemente da data, a venda casada é contra o Código de Defesa do Consumidor. É preciso que o consumidor tome cuidado com esse tipo de negócio e se atente para não ser ludibriado por falsas promoções, uma vez que é muito comum que o valor do “brinde” já esteja incluído no preço do produto. Pensando no consumidor, a  Proteste tem monitorado o mercado de venda on-line e verificou que os preços possuem uma variação de até 45% de loja para loja e de até 20% de um dia para o outro. Para poupar o esforço dos consumidores, que entram em vários sites fazendo a comparação dos preços, a Associação lançou o Mais Barato  Proteste, um plugin para navegador de Internet que avisa quando o produto chega no valor desejo.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

um + 16 =