Salvador segue com a cesta básica mais barata do país

Preço dos alimentos registrou deflação na última semana de novembro (Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)

O  custo da cesta básica em Salvador  registrou redução de 4,09%em setembro  em relação a agosto, e passou a custar R$ 318,52, contra os R$ 332,10 registrados no mês anterior. Este é o menor valor dentre as 21 capitais onde o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) realiza a pesquisa. Na variação em 12 meses (de outubro de 2016 a setembro de 2017), os gêneros alimentícios apresentaram redução de 16,60% em Salvador. De janeiro a setembro, a variação é de -10,31%.

De acordo com a pesquisa, divulgada ontem, em Salvador todos os produtos registraram redução no preço médio em setembro. Destaque para o feijão, que registrou a maior queda (-21,15%), seguido pelo óleo de soja (-6,43%), a banana (-6%), arroz (-5,66%), tomate (-5%), farinha de mandioca (-3,63%), pão francês (-3,32%), açúcar (-2,66%), café (-1,46%), leite (-1,43%), carne (-0,87%) e a manteiga (-0,66%).

Em setembro de 2017, o trabalhador soteropolitano remunerado pelo salário mínimo comprometeu 74 horas e 47 minutos de sua jornada mensal para adquirir a cesta básica. Em agosto, o comprometimento havia sido maior, quando foram necessárias 77 horas e 58 minutos. Quando se compara o custo da cesta em relação ao Salário Mínimo líquido, ou seja, após o desconto referente à Previdência Social (R$ 862,04), o comprometimento foi de 36,94% em setembro, percentual menor que os 38,52% de agosto.

Outras cidades

Em setembro, houve diminuição do custo do conjunto de alimentos essenciais em 20 das 21 capitais onde oDieese realiza mensalmente a Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos. As quedas mais expressivas foram registradas nas cidades do Nordeste: Maceió (-5,22%), Fortaleza (-4,85%), João Pessoa (-4,62%), Salvador (-4,09%), São Luís (-3,97%) e Natal (-3,64%). A única alta, no mês, foi verificada em Campo Grande (1,17%).

Porto Alegre foi a capital com a cesta mais cara (R$ 436,68), seguida por São Paulo (R$ 421,02) e Florianópolis (R$ 419,17). Os menores valores médios foram observados em Salvador (R$ 318,52), Natal (R$ 323,90) e Recife (R$ 328,63).

Em 12 meses, o valor da cesta apresentou redução em todas as cidades pesquisadas. As taxas negativas variaram entre -19,11%, em Cuiabá, e -5,19%, em Goiânia. Entre janeiro e setembro de 2017, o custo da cesta também diminuiu em todas as capitais, com destaque para as do Centro-Oeste: Cuiabá (-13,91%), Campo Grande (-11,96%) e Brasília (-11,28%).

Salário mínimo

Com base na cesta mais cara que, em setembro, foi a de Porto Alegre e levando em consideração a determinação constitucional que estabelece que o salário mínimo deve ser suficiente para suprir as despesas de um trabalhador e da família dele com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência, o Dieese  estima mensalmente o valor do salário mínimo necessário.

Em setembro de 2017, o salário mínimo necessário para a manutenção de uma família de quatro pessoas deveria equivaler a R$ 3.668,55, ou 3,92 vezes o mínimo vigente de R$ 937,00. Em agosto, o piso mínimo necessário correspondeu a R$ 3.744,83, ou 4,00 vezes o mínimo vigente. Em setembro de 2016, o salário mínimo necessário havia sido de R$ 4.013,08, ou 4,56 vezes o piso em vigor, que equivalia a R$ 880,00.

CUSTO (R$) E VARIAÇÃO (%) DA CESTA BÁSICA EM 21 CAPITAIS

BRASIL, SETEMBRO DE 2017

 

Capital

Valor da cesta (R$)

Variação mensal (%)

Porcentagem do Salário Mínimo Líquido (%)

Tempo de trabalho

Variação no ano

(%)

Variação anual (%)

Porto Alegre

436,68

-2,04

50,66

102h32m

-4,87

-8,59

São Paulo

421,02

-2,46

48,84

98h51m

-4,07

-10,72

Florianópolis

419,17

-1,67

48,63

98h25m

-7,63

-6,65

Rio de Janeiro

410,27

-0,04

47,59

96h20m

-7,54

-9,15

Vitória

391,76

-1,54

45,45

91h59m

-8,11

-10,00

Brasília

383,03

-3,41

44,43

89h56m

-11,28

-17,09

Curitiba

376,46

-2,25

43,67

88h23m

-8,15

-11,39

Goiânia

372,99

-3,57

43,27

87h35m

-3,58

-5,19

Fortaleza

370,46

-4,85

42,97

86h59m

-6,02

-10,93

Belém

369,89

-1,58

42,91

86h51m

-9,94

-12,85

Cuiabá

366,94

-2,40

42,57

86h09m

-13,91

-19,11

Belo Horizonte

361,82

-0,88

41,97

84h57m

-8,32

-14,17

Campo Grande

359,24

1,17

41,67

84h21m

-11,96

-16,89

Manaus

355,47

-0,70

41,24

83h28m

-10,03

-11,45

Maceió

355,20

-5,22

41,20

83h24m

-9,29

-10,02

Aracaju

344,16

-2,74

39,92

80h49m

-1,58

-7,56

São Luís

338,38

-3,97

39,25

79h27m

-4,97

-11,66

João Pessoa

334,86

-4,62

38,85

78h37m

-8,55

-13,45

Recife

328,63

-3,50

38,12

77h10m

-5,56

-12,49

Natal

323,90

-3,64

37,57

76h03m

-7,97

-11,87

Salvador

318,52

-4,09

36,95

74h47m

-10,31

-16,60

 

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

7 − quatro =