Ferbasa compra complexo eólico na Bahia por R$ 392 milhões

Ferbasa vai pagar R$ 450 milhões pelo Complexo Eólico Guirapá (Foto: Construtora Fernandes)

[dropcap]A[/dropcap] Companhia de Ferro Ligas da Bahia (Ferbasa), que atua nas áreas de mineração, metalurgia e de recursos florestais, comprou por R$ 392 milhões o Complexo Eólico Guirapá, composto por sete parques éolicos (Angical, Caititu, Coqueirinho, Corrupião, Inhambu, Tamanduá Mirim e Teiú), 92 aerogeradores  e 170 MW de capacidade. O empreendimento, localizado entre os municípios de Pindaí e Caetité, no sudoeste da Bahia, pertencia ao Santander Investimentos. Na noite da última sexta-feira, o Banco Santander confirmou, através de fato relevante, a venda dos ativos de energia.

“O Banco Santander comunica a seus acionistas e ao mercado em geral que no curso regular de suas atividades sua controlada Santander Corretora de Seguros, Investimentos e Serviços S.A. aceitou proposta vinculante apresentada pela Ferbasa para a venda da totalidade das ações de emissão da BW Guirapá I S.A. (BW I) de titularidade da Santander Investimentos, representativas de 87,13% do capital social total da BW I. A operação compreenderá a alienação indireta das 7 centrais eólicas organizadas na forma de sociedades de propósito específico (SPEs) detidas pela BW I”, disse o banco espanhol.

a Ferbasa é a principal fornecedora de ferroligas do Brasil e única produtora de ferrocromo das Américas (Foto: Divulgação)
A Ferbasa é a principal fornecedora de ferroligas do Brasil e a única produtora de ferrocromo das Américas (Foto: Divulgação)

Ainda segundo o fato relevante, assinado por Angel Santodomingo, diretor de relações com investidores, o fechamento e a efetiva realização da operação estão condicionados a assinatura dos documentos definitivos, manutenção do curso ordinário dos negócios das SPEs, obtenção das aprovações necessárias por parte das autoridades competentes e aprovação da operação em assembleia geral extraordinária da Ferbasa.

As centrais eólicas se encontram em fase operacional e com energia negociada no montante total de 81 MW médios. Em fato relevante, também publicado na noite da última sexta-feira e assinado por Marcio Barros, diretor financeiro e de relações com investidores, a Ferbasa diz que a “operação está inserida na estratégia da companhia de ampliar sua competitividade no setor de mineração, metalurgia e de recursos florestais, por meio do investimento no segmento energético, complementar às suas atividades, que fará com que a Companhia passe a ter uma atuação vertical em relação aos seus negócios”.

Desempenho

Fundada  há 56 anos pelo  engenheiro José  Carvalho, a Ferbasa é a principal fornecedora de ferroligas do Brasil e única produtora de ferrocromo das Américas. Seus principais produtos são as ligas de ferrocromo alto carbono, ferrocromo baixo carbono, ferrossilício e ferrossilício cromo,  destinadas, principalmente, ao setor siderúrgico e à produção de aços inoxidáveis.

A empresa encerrou o primeiro semestre do ano com uma receita líquida de R$ 573,5 milhões, alta de 0,3% em relação a igual período de 2016. O lucro líquido nos seis primeiros meses deste ano foi de R$ 143,9 milhões. Já a produção atingiu 120.519 toneladas de janeiro a junho deste ano, representando um aumento de 12,3% em relação ao mesmo período de 2016, com destaque para as ligas de cromo, que cresceram 20,5%.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

12 − dez =