Casa dos Ventos cadastra 118 projetos eólicos na Bahia

Complexo Eólico Ventos do Araripe, no Piauí, em operação desde 2015: Casa dos Ventos vai forte para os leilões de energia nova marcados para o mês de dezembro (Fotos: Divulgação)

[dropcap]A[/dropcap] Casa dos Ventos, uma das principais investidoras no mercado de energia renovável do Brasil, cadastrou 118 projetos eólicos na Bahia para participar  dos leilões de energia nova que acontecerão no próximo mês de dezembro. Juntos, estes empreendimentos somam mais de 3,3 gigawatts (GW) de capacidade instalada. Em todo o país, o grupo  cadastrou 214 projetos, ou seja, a Bahia responde por mais da metade dos empreendimentos inscritos no certame.

Em nota,  Lucas Araripe, diretor de novos negócios da companhia, disse que “continuamos fornecendo projetos competitivos para os principais players do mercado, ao mesmo passo que buscamos expandir nossa base de ativos operacionais através de investimentos proprietários”.

A PCH Candengo, em Valença, foi modernizada este ano (Foto: Divulgação)
A PCH Candengo, em Valença,  foi modernizada este ano 

O grupo desenvolveu vários projetos de energia eólicos na Bahia, que hoje estão detidos por terceiros, como o Complexo Babilônia I, Complexo Morro do Chapéu I, Complexo Tombador e o Complexo Itaguaçu da Bahia.  Mantém, porém,  o controle da PCH Candengo, em Valença, que foi modernizada este ano e, com a troca de equipamentos, ampliou sua  capacidade instalada de 2 MW para 11 MW.

Bahia lidera leilões

Os leilões, denominados A-4 e A-6, serão promovidos pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e estão marcados para os dias 18 e 20/12. O primeiro é voltado para fontes renováveis de energia eólica, biomassa, solar e pequenas centrais hidrelétricas e negociará contratos para início de fornecimento de energia em quatro anos (2021). Já o segundo, abrange eólicas, hidrelétricas e termelétricas a gás, carvão e biomassa e engloba contratos com início de suprimento em seis anos (2023).

Um total de 813 projetos de energia na Bahia foram cadastrados nos leilões. A eólica foi a fonte mais cadastrada, tanto em número de projetos (644) como em potência total (7.263 MW). As usinas fotovoltaicas também se destacaram, com 162 projetos e 4.758 MW de capacidade instalada. Há ainda duas usinas termoelétricas a biomassa, uma termelétricas a gás natural (do Grupo Global) e uma PCH.

A Bahia representa quase 30% de todos os projetos no país – na soma total, foram cadastrados 1.676 projetos para o Leilão “A–4” (47.965 MW) e 1.092 projetos para o Leilão “A-6” (53.424 MW), sendo que parte significativa desses projetos foi cadastrada em ambos os certames.

[box type=”note” align=”alignright” class=”” width=””]A Casa dos Ventos é uma das pioneiras e maiores investidoras no desenvolvimento de projetos eólicos no Brasil. Em 2017, a companhia completa dez anos no mercado e, atualmente, é responsável pelo maior número de projetos que venderam energia nos leilões e no ambiente de contratação livre. Além de ter desenvolvido aproximadamente 30% de todos os empreendimentos em implantação ou operação no país, a empresa é detentora do maior portfólio de projetos eólicos do Brasil. A sede da companhia é na cidade de São Paulo e seus projetos eólicos estão localizados no Ceará, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Paraíba, Bahia e Piauí.[/box]

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

8 + catorze =