Setor de serviços tem queda de 5% de janeiro para fevereiro

Mesmo com o crescimento de junho frente a maio, o setor de serviços fecha os primeiros seis meses do ano negativo em 0,9% (Foto: Orlando Kissner/ANPr)

O volume do setor de serviços na Bahia recuou 5% em fevereiro de 2017, frente a janeiro, na série com ajuste sazonal, após ter registrado crescimento de 4,9% (dado revisado) entre dezembro de 2016 e janeiro. Nessa mesma comparação, em nível nacional, o volume de serviços teve variação positiva de 0,7%, com taxas negativas em 16 das 27 unidades da Federação. A Bahia teve o quarto pior resultado, acima apenas de Pernambuco (-5,2%), Espírito Santo (-5,3%) e Ceará (-9,8%), segundo dados  divulgado hoje pelo IBGE.

No confronto com o mesmo mês do ano anterior, em fevereiro, os serviços na Bahia voltaram a cair (-5,5%), após o leve crescimento de 0,6% (dado revisado) verificado em janeiro, mostrando um resultado bem próximo à média nacional (-5,1%) e acompanhando o movimento de queda verificado em 22 dos 27 estados.

No acumulado em 12 meses, o volume de serviços baiano segue em queda em fevereiro (-7,7%), acima da média nacional (-5%) ainda que um pouco menos intensa que a registrada nos 12 meses encerrados em janeiro (-7,9%) (dado revisado). Nessa comparação, assim como já havia ocorrido em janeiro, todos os estados apresentam resultados negativos.

Nos dois primeiros meses de 2017, entretanto, refletindo o resultado positivo de janeiro, o recuo acumulado para os serviços na Bahia (-2,4%) está bem menor do que nacional (-4,3%) e é mais intenso apenas que as quedas verificadas em Acre (-1,4%), São Paulo (-1,8%) e Minas Gerais (-2,1%). Nessa comparação, 22 das 25 unidades da Federação têm taxas negativas.

Recuos na atividade de transportes e correio são decisivos 

Frente ao mesmo mês do ano passado, em fevereiro de 2017 (-5,5%), duas das cinco atividades de serviços pesquisadas tiveram resultados positivos na Bahia: Serviços de informação e comunicação (0,2%) e Serviços profissionais, administrativos e complementares (2,5%).

Por outro lado, a maior queda foi observada nos Outros serviços (-17,4%). Em seguida, veio o recuo de Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (-13,2%), que, por ser a atividade que mais pesa no setor de serviços baiano, foi a principal influência negativa no mês. Houve queda ainda no volume dos Serviços prestados às famílias (-7,2%).

O volume da atividade de transportes e correio vem em quedas mensais seguidas desde setembro de 2015 (-1,9%), acumulando recuos de 10,8% em 2017 e 15,0% nos 12 meses encerrados em fevereiro. Nesta taxa anualizada, o último resultado positivo ocorreu em novembro de 2015 (1,9%). Como os transportes respondem por pouco mais de 1/3 do volume de serviços na Bahia, esses resultados negativos são decisivos no desempenho do setor como um todo.

Turismo na Bahia tem queda de 5,1% de janeiro para fevereiro

Entre as atividades de serviços ligadas ao turismo, a Bahia teve, de janeiro para fevereiro, a 3ª pior queda (-5,1%), após ter registrado aumento de 8,9% entre dezembro/16 e janeiro (dado revisado). O resultado negativo de fevereiro, nessa comparação, ficou acima apenas das taxas de Espírito Santo (-6,5%) e Pernambuco (-14,7%).

Em média, o volume dos serviços ligados ao turismo teve variação positiva de 0,2% no país, com crescimentos verificados em apenas 3 das 12 unidades da Federação investigadas: Distrito Federal (24,0%), São Paulo (5,6%) e Goiás (2,7%).

Frente a fevereiro de 2016, o turismo baiano também apresentou queda (-1,8%), porém bem menos acentuada que o recuo médio nacional (-8,8%) e a menor retração entre os estados pesquisados.

Nessa comparação, apenas Goiás (16,6%), Santa Catarina (8,0%) e Minas Gerais (3,1%) apresentaram crescimento, e os piores resultados ficaram com Rio de Janeiro (-18,8%), Espírito Santo e Distrito Federal (cada um com -17,1%).

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

quatro × 2 =