INB intensifica trabalhos para retomar produção de urânio

A etapa de decapeamento se refere à remoção da camada de solo que está acima da rocha a ser explorada

O vai e vem dos caminhões na Unidade de Concentrado de Urânio da INB, em Caetité, Bahia, evidencia que as atividades para a retomada da produção de urânio estão a todo vapor. Para isso, estão sendo realizados desmontes e transporte de rochas, além das obras de infraestrutura e das atividades para atendimento e obtenção das licenças ambientais e de radioproteção necessárias para a implantação da futura Mina do Engenho.

Simplificadamente, a etapa de decapeamento se refere à remoção da camada de solo que está acima da rocha a ser explorada e que contém o minério a ser extraído, no caso o urânio. No local onde será implantada a futura Mina do Engenho, a altura da camada que está sendo removida varia entre 5 e 25 metros.

Os trabalhos são realizados em dois turnos (de manhã e à noite), sendo os desmontes e o transporte do material retirado executados com a utilização de caminhões e escavadeiras. O minério obtido com o decapeamento será beneficiado e a estimativa é obter 73 toneladas de concentrado de urânio nesta etapa.

Edital

Outra atividade que está em fase de finalização é a elaboração do edital para contratação da empresa que fará a lavra da futura Mina do Engenho. “Nossa intenção é que não haja interrupção entre uma fase e outra para que a INB volte a produzir e cumprir as metas estabelecidas pela direção da empresa”, afirma o gerente de Geotecnia e Lavra, engenheiro Adriano Quadros Lima.

A expectativa de vida da futura Mina do Engenho é de 15 anos, com produção estimada em 260 t de U3O8 por ano (concentrado de urânio), mais conhecido como yellow cake.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

sete + catorze =