Navio-plataforma da Odebrecht é batizado em Singapura

A construção do FPSO Pioneiro de Libra começou no final de 2014 no estaleiro Jurong, em Singapura, e recebeu investimentos de aproximadamente US$ 1 bilhão (Fotos: Divulgação)

A Odebrecht Óleo e Gás (OOG) e a Teekay Offshore Partners L.P. (Teekey Offshore) realizaram ontem (02/12), em Singapura, a cerimônia de batismo do FPSO Pioneiro de Libra, de propriedade da joint-venture 50/50 entre as duas empresas (OOGTK). A embarcação será afretada e operada pela joint-venture e realizará Testes de Longa Duração no Bloco de Libra, para o consórcio formado pelas empresas Petrobras (Operadora, com 40%), Total (20%), Shell (20%), CNPC (10%) e CNOOC (10%) por um período de 12 anos. O primeiro óleo está previsto para o final do primeiro semestre de 2017.

O Bloco de Libra se estende por mais 1.500 quilômetros quadrados na Bacia de Santos, com reservas estimadas entre 8 e 12 bilhões de barris de óleo recuperável, segundo a Agência Nacional do Petróleo (ANP).

A construção do FPSO Pioneiro de Libra começou no final de 2014 no estaleiro Jurong, em Singapura, e recebeu investimentos de aproximadamente US$ 1 bilhão. A unidade poderá atuar em lâmina d’água de até 2.400 metros de profundidade e terá capacidade de produção de 50 mil barris de óleo por dia e de compressão de quatro milhões de metros cúbicos de gás/ dia.

Ao longo de dois anos, mais de quatro mil pessoas estiveram envolvidas no projeto, incluindo as atividades no estaleiro, com mais de 16 milhões de homens/horas trabalhadas, sem registro de nenhum acidente de trabalho com afastamento.

“O FPSO Pioneiro de Libra é um marco para a produção de petróleo no Brasil e temos orgulho de contribuir para esse projeto com nossa capacidade técnica e financeira. Será o primeiro FPSO a atuar no Bloco de Libra, considerada a maior reserva de petróleo do pré-sal do mundo. A entrada em operação é um evento de grande importância para o nosso negócio e, como consequência, de grande relevância para a OOG”, afirma Jorge Mitidieri, diretor superintendente de serviços integrados da Odebrecht Óleo e Gás.

O navio-plataforma será o primeiro a atuar na maior reserva de petróleo do pré-sal
O navio-plataforma será o primeiro a atuar na maior reserva de petróleo do pré-sal

Classe mundial

“A colaboração neste projeto tem sido de classe mundial e é um exemplo de como temos que trabalhar juntos na nossa indústria para administrar com sucesso projetos inovadores como o FPSO Pioneiro de Libra. Nossa forte parceria na joint venture com a OOG e a forma com que trabalhamos conjuntamente com o Jurong, a Petrobras e outros parceiros evidencia um grande esforço de equipe, que é um dos principais valores da Teekay”, afirma Chris Brett, presidente da Teekay Offshore Production.

“É uma grande conquista atingirmos esse marco do batismo do FPSO Pioneiro de Libra, principalmente considerando o ambiente adverso na indústria de óleo e gás nos últimos dois anos e todas as dificuldades vividas pela OOG diante do cenário político e econômico do Brasil. Isto mostra a força e resiliência de nossas equipes e principalmente da parceria entre OOG e Teekay”, afirma Roberto Simões, CEO da Odebrecht Óleo e Gás.

“O trabalho realizado pelo Jurong, por seus subcontratados e pela equipe administrativa da OOGTK tem sido de primeira classe. Estamos muito orgulhosos dos padrões e da performance de segurança do projeto. Também estamos muito honrados que nosso FPSO será o primeiro a produzir óleo no gigantesco campo de Libra e irá contribuir significativamente para nosso fluxo de caixa no futuro” relata Kenneth Hvid, eleito CEO da Teekay Corporation e atual presidente e CEO da Teekay Offshore Group.

Afretamento

Os contratos de afretamento e operação do FPSO Pioneiro de Libra foram celebrados em outubro de 2014. No ano seguinte, a joint-venture formalizou o contrato de financiamento com bancos internacionais para a construção do navio, O empréstimo de longo prazo, na modalidade Limited Recourse Project Finance, tem valor total de aproximadamente US$ 800 milhões.

O FPSO (Floating Production Storage and Offloading) é um tipo de navio utilizado pela indústria petrolífera para a produção, armazenamento de petróleo e/ou gás natural e escoamento da produção por navios cisterna (petroleiros). São utilizados em locais de produção distantes da costa com inviabilidade de ligação por oleodutos ou gasodutos.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

5 + 4 =