Havana: começou a despedida a Fidel na Plaza de la Revolución

O povo cubano foi convocado também a firmar ali um compromisso com as ideias do ex presidente e de dar continuidade ao socialismo (Foto: Agencia Cubana de Noticias)

Desde as 9 h da manhã de hoje (28) grandes filas de cubanos começaram a despedir-se do falecido líder Fidel Castro na “Plaza de la Revolución”, onde as cinzas do ex-mandatário foram instaladas, no Memorial a José Martí. O povo cubano foi convocado também a firmar ali um compromisso com as ideias do ex presidente e de dar continuidade ao socialismo, em uma jornada em que não foram suspensas as atividades laborais nem escolares. As informações são da agência argentina Télam.

As despedidas se estenderão até esta terça-feira às 19 h, para quando foi convocado “um ato de massas”. Ao largo desses dois dias, os restos de Fidel Castro – que em suas últimas vontades pediu expressamente para ser cremado- permanecerão no Memorial a José Martí para que a população lhe dê o seu “adiós”.

Esse será também o momento escolhido para que estejam presentes as delegações internacionais, mandatários e personalidades que se espera que vão chegando a Cuba entre hoje e amanhã para despedir-se do comandante, que em vida pronunciou na “Plaza de la Revolución” a maioria de seus célebres e largos discursos.

Entre as presenças confirmadas está a do rei da Espanha, Juan Carlos, e se dá como certa a presençã dos presidentes de países aliados de Cuba, como os da Venezuela, Nicolás Maduro; Bolivia, Evo Morales; Nicarágua, Daniel Ortega; e Equador, Rafael Correa.

Rússia

Nas últimas horas também se soube que a Rússia estará representada pelo presidente da Duma (Cámara de Deputados), Viacheslav Volodin, e a Grécia pelo seu primeiro ministro, Alexis Tsipras.

Tampouco se descarta o comparecimento de ex mandatários como o brasileiro Luiz Inacio Lula da Silva, a argentina Cristina Kirchner e o uruguaio Pepe Mujica, que mantiveram uma estreita relação com o líder falecido, conforme assinalou a agência de notícias espanhola EFE.

Na quarta-feira, 30 de novembro, as cinzas de Fidel começam um périplo pela ilha para que todos os cubanos lhe deem seu último adeus, numa viagem que imitará, ao contrário, o percurso da “Caravana da Liberdade”, na qual os rebeldes da Sierra Maestra atravessaram o país desde Santiago de Cuba quando triunfou a Revolução em 1959.

Os restos do comandante chegarão a Santiago de Cuba no sábado 3 de dezembro, quando terá lugar outro ato massivo de homenagem a Fidel. A cerimônia de inumação (colocação das cinzas em sepultura ou jazigo), que se espera ser íntima e familiar, terá lugar no domingo 4 de dezembro no cemitério da cidade de Santa Ifigênia, o mesmo em que repousam as cinzas do prócer cubano José Martí. (Da Agência Télam)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

dezesseis + oito =