Semana Nacional de Ciência e Tecnologia atraiu 15 mil pessoas

As novidades do universo da robótica, games, nanotecnologia, química e até mesmo da gastronomia foram exibidas por mais de 40 expositores (Fotos: Gabriel Pinheiro/GOVBA)

Durante quatro dias, a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT) 2016 atraiu mais de 15 mil pessoas, a maioria estudantes de escolas públicas e privadas, bem como de universidades e cursos técnicos, nas instalações do Senai Cimatec, na Avenida Orlando Gomes. De quarta-feira (19) a este sábado (22), as novidades do universo da robótica, games, nanotecnologia, química e até mesmo da gastronomia foram exibidas por mais de 40 expositores e por 30 palestrantes.

A Secretaria Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) é responsável por organizar, na Bahia, a Semana, desde quando o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações criou o evento, a fim de ampliar a popularização da ciência por todo o território nacional, em 2004. O tema da 13ª edição é ‘Ciência Alimentando o Brasil’ e, em virtude disso, a tecnologia aplicada no desenvolvimento e aprimoramento de alimentos esteve bastante presente, tanto na área de Exposição Tecnológica quanto no Ciclo de Palestras. “Essas diversas atividades faz com que as pessoas a se interessem mais pela ciência”, avalia Manoel Mendonça, secretário da Secti.

Alguns estandes registraram grande movimento neste sábado
Alguns estandes registraram grande movimento neste sábado

Alguns estandes registraram grande movimento, independente do horário. Dentre eles, figuram o da Soma, que apresentou a patinete elétrica que chega a 50 quilômetros por hora e os de games que usam óculos de realidade aumentada. As áreas ocupadas pelo Departamento de Polícia Técnica da Bahia, que montou uma cena de crime e contou com a ajuda dos visitantes para analisar o cenário; e pela Marinha do Brasil, que trouxe um grande simulador de navegação; também foram disputadas pelos visitantes.

Yuri Berezovoy, fundador da Soma, garante que a Semana auxiliou a empresa a “validar o produto, por conta da exposição a um megapúblico”. Além de ampliar o conhecimento, a estudante Giselle Santos, 16 anos, sentiu algo inusitado durante a visita: medo. “Fui ao estande do Gamepólitan e decidi experimentar os óculos de realidade aumentada que simulam que a pessoa está no topo de um arranha-céu. É tão real que eu gritei”, confessa a jovem.

Recursos

Houve uma redução de 45% de aplicação de recursos para a realização da Semana, em Salvador em comparação com a edição passada. Os dados são da Coordenação de Articulação Institucional (CAI), setor da Secti responsável por toda a organização da feira. A média de público, no entanto, “foi semelhante a de 2016 e o evento foi considerado, pela maioria dos visitantes, como um sucesso”, comemora Sócrates Santana, coordenador da CAI.

Neste ano, o evento contou com o apoio da Braskem; Grupo Neoenergia (Coelba); Companhia de Gás da Bahia (Bahiagás); Banco do Nordeste; Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae); MCTIC; Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia; Companhia de Processamento de Dados da Bahia (Prodeb) além das secretarias estaduais de Infraestrutura (Seinfra), Educação (SEC) e Desenvolvimento Rural (SDR).

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

vinte − 8 =