Óleo diesel é 2º produto mais movimentado no Porto de Aratu

Navio Tenacity, com operação de descarga de Diesel, no berço sul do terminal de graneis líquidos do Porto de Aratu-Candeais (Foto: Divulgação/Codeba)

Um dos produtos que registrou um aumento substancial na movimentação no Porto de Aratu-Candeias, administrado pela Codeba, é o óleo diesel. Até pouco tempo atrás, o volume movimentado era inexpressivo. Contudo, este produto tomou forte impulso nos últimos meses e já se destaca como um dos principais em volume de peso entre os graneis líquidos no sentido de importação. De janeiro até agosto, já foram desembarcados através dos terminais de graneis líquidos cerca de 250 mil toneladas, a maioria originado do Golfo do México, e já se constitui no segundo produto mais movimentado no porto, depois da nafta.

Segundo informações das empresas importadoras, a compra do produto no exterior é por dois motivos básicos: primeiro, o Brasil importa diesel porque não tem capacidade para produzir todo o volume necessário para abastecer o mercado; segundo, de acordo com consultorias especializadas, o diesel vendido pela Petrobras custa hoje cerca de 40% a mais que a cotação do golfo do México, usada como referência.

As distribuidoras de combustíveis têm aproveitado o alto preço do diesel vendido pela Petrobras para ampliar seus lucros com a importação do produto por conta própria. Quem ganha com isso é o Porto de Aratu-Candeias, que agrega um novo produto, com perspectivas de evolução, estando previsto para esse ano um volume em torno de 450 mil toneladas.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

dois × um =