Capa > Atualidade > Prédios tombados pelo poder público podem passar por reformas
O antigo prédio do jornal A Tarde está sendo completamente  reformado e se tornará uma filial, categoria seis estrelas, da rede de hotéis de luxo Fasano (Fotos: Jefferson Vieira/Ascom Ipac)
O antigo prédio do jornal A Tarde está sendo completamente reformado e se tornará uma filial, categoria seis estrelas, da rede de hotéis de luxo Fasano (Fotos: Jefferson Vieira/Ascom Ipac)

Prédios tombados pelo poder público podem passar por reformas

Ao contrário do senso comum, imóveis tombados (protegidos oficialmente) pelos poderes públicos, seja pelo município,  estado ou União, podem passar por modificações. É o caso, por exemplo, do prédio na Praça Castro Alves onde funcionou por 45 anos o jornal A Tarde, tombado pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (Ipac) como Bem Cultural da Bahia.

Em estilo arquitetônico Art déco a edificação foi construída entre 1928 e 1930. As obras do prédio que estavam em ritmo lento por 12 meses, foram retomadas e a edificação se tornará uma filial, categoria seis estrelas, da rede de hotéis de luxo Fasano, que possui unidades no Rio de Janeiro, São Paulo e Punta del Este, no Uruguai. A previsão para a conclusão das obras pela construtora Prima Empreendimentos Inovadores deve ser no próximo ano.

SALVAGUARDA – Para o diretor geral do Ipac, João Carlos de Oliveira, é fundamental que a sociedade entenda e se aproprie das leis e mecanismos que regem a salvaguarda de edificações protegidas oficialmente. “Temos outros exemplos como o Hotel da Bahia, atual Sheraton, que é tombado pela sua importante arquitetura modernista, mas sofreu reformas depois de analisada e aprovada pelo Ipac”, diz. João Carlos ressalta ainda a reforma do antigo Hotel Palace, na Rua Chile, que apesar de não ser tombado, é mais um ícone do Art déco em Salvador. O prédio está se transformando no Fera Palace Hotel com 69 apartamentos e 12 suítes, bar na cobertura e piscina com vista para a Baía de Todos os Santos.

O Hotel da Bahia, , atual Sheraton, foi reformado duas vezes
O Hotel da Bahia,  atual Sheraton, foi reformado duas vezes

O prédio de A Tarde foi totalmente modificado por dentro, com implantação de elevadores, novas escadas e outros itens contemporâneos e de alta tecnologia. O projeto desenvolvido pelo arquiteto Isay Weinfeld inclui 70 suítes com vista para o mar, restaurante, cobertura com piscina, sauna e bar, além de um pequeno business center. Weinfeld, que também criou os hoteis Fasano em São Paulo e Punta Del, planejou para a unidade na Praça Castro Alves, uma decoração que resgata as memórias do jornal, de percurso centenário, incluindo uma tentativa de incêndio ocorrida durante o Golpe de Estado de 1930.

ART DÉCO – O prédio A Tarde foi uma das primeiras edificações de cimento armado da cidade, integrando sete pavimentos e um subsolo, onde o jornal funcionava. O edifício é um precioso exemplar do estilo arquitetônico art déco e já foi antes abrigo do Hotel Wagner, localizado no último andar. Já o Hotel da Bahia, foi reformado duas vezes, uma na década de 1980, pelo seu próprio autor, o renomado arquiteto baiano Diógenes Rebouças (1914-1994) em coautoria com Lourenço do Prado Valladares e, depois, já na primeira década do século XXI.

Tombado pelo Ipac desde 2010 a edificação foi comprada e reformada pela StarwoodHotels & Resorts, sendo reinaugurada como Sheraton da Bahia Hotel em 2013.

Share

Leia Também

O Ipac inscreveu  a restauração completa do Palácio da Aclamação (Foto:  Angeluci Figueiredo / Divulgação)

Ipac inscreve propostas no MinTur para captar até R$ 30 milhões

Aproximadamente R$ 30 milhões para investir em obras de restauração e ações de proteção aos …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze + quatro =

Share