Capa > Economia Baiana > Setor de automóveis puxa crescimento da indústria baiana
Produção de veículos no estado subiu mais de 18% (Foto: Ted Ferreira/Divulgação)
Produção de veículos no estado subiu mais de 18% (Foto: Ted Ferreira/Divulgação)

Setor de automóveis puxa crescimento da indústria baiana

A produção industrial da Bahia, descontados os efeitos sazonais, teve aumento de 4,9% em agosto frente a julho. Foi o segundo resultado positivo seguido nessa comparação, período em que a indústria baiana acumulou expansão de 13,2%. Nesse confronto, a Bahia teve o segundo maior crescimento dentre as 7 regiões com resultados positivos, das 14 pesquisadas pelo IBGE. A indústria baiana cresceu abaixo apenas da do Espírito Santo (7,5%) e bem acima da média nacional (-0,8%). Por outro lado, 6 regiões apresentaram queda na produção industrial frente a julho, com destaques para São Paulo (-1,4%) e Rio Grande do Sul (-1,4%). Nesse confronto, a indústria de Santa Catarina mostrou estabilidade (0,0%).

Frente a agosto de 2016, a produção industrial baiana também cresceu (4,6%). Foi o segundo resultado positivo consecutivo do estado nessa comparação após 16 meses de quedas seguidas, e o melhor agosto desde 2013 (7,0%). No país como um todo, a produção da indústria cresceu 4,0% em agosto de 2017, frente ao mesmo mês de 2016, com resultados positivos em 13 das 15 regiões. Mato Grosso (15,8%), Pará (9,3%) e Paraná (8,8%) tiveram os aumentos mais intensos, enquanto Rio Grande do Sul (-2,0%) e Rio de Janeiro (-1,8%) mostraram quedas.

Apesar dos recentes resultados positivos, a produção industrial baiana ainda apresenta queda no acumulado no ano de 2017 (-3,9%), mas mantém uma desaceleração sistemática no ritmo de recuo (que havia sido de -5,2% em julho).

Nessa comparação, a indústria no estado acumula perdas desde junho de 2016 e ainda tem o pior resultado dentre as regiões pesquisadas, bem abaixo da média nacional (1,5%). No acumulado em 2017, a indústria cai em 2 das 15 áreas investigadas. Além da Bahia, só a região Nordeste como um todo tem resultado negativo (-1,0%).

Considerando-se os 12 meses encerrados em agosto, a indústria baiana acumula queda de –5,1%, a mais intensa dentre as regiões e bem mais profunda que o recuo nacional (-0,1%). Entretanto, também nesse indicador houve desaceleração da queda em relação ao acumulado até julho (-6,4%) – terceiro maior ganho de ritmo entre as regiões.

Produção de automóveis  puxa a indústria baiana para cima

Na comparação agosto de 2017/agosto de 2016, o crescimento de 4,6% da produção industrial da Bahia foi resultado do desempenho positivo de 7 das 12 atividades pesquisadas no estado. A principal influência positiva veio do avanço no setor de veículos automotores, reboques e carrocerias (18,3%), impulsionado, principalmente, pela maior produção de automóveis.

Além dele, outros setores importantes na estrutura da indústria no estado apresentaram crescimento, como a fabricação de outros produtos químicos (5,0%); de coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (2,6%); a indústria extrativa (13,9%); e a fabricação de produtos de borracha e de material plástico (11,8%).

Em sentido contrário, as atividades de artefatos de couro, artigos para viagem e calçados (-5,5%); e de equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos (-50,1%) exerceram as principais influências negativas.

No acumulado no ano de 2017 (-3,9%), 6 das 12 atividades industriais pesquisadas na Bahia apresentam queda de produção, com destaque para os recuos nos setores de metalurgia (-34,7%) e na fabricação de coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (-9,0%).

Assim como fez no mês de agosto, a produção de veículos (17,5%) exerce o principal impacto positivo no acumulado no ano de 2017, impulsionada também, em grande parte, pelo aumento na produção de automóveis.

Share

Leia Também

De setembro para outubro, as atividades de serviços ligadas ao turismo na Bahia cresceram 1,7%, segundo o IBGE  (Foto: Ascom/Setur)

Volume do setor de serviços cresce 2,8% na Bahia

O volume do setor de serviços na Bahia cresceu 2,8% entre setembro e outubro, a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 − nove =

Share