Capa > Negócios no Campo > Censo agropecuário vai visitar 760 mil estabelecimentos na Bahia
Até fevereiro de 2018, cerca de 19 mil recenseadores irão visitar em torno de 5,3 milhões de estabelecimentos agropecuários, nos 5.570 municípios brasileiros   (Foto: Antonio Costa)
Até fevereiro de 2018, cerca de 19 mil recenseadores irão visitar em torno de 5,3 milhões de estabelecimentos agropecuários, nos 5.570 municípios brasileiros (Foto: Antonio Costa)

Censo agropecuário vai visitar 760 mil estabelecimentos na Bahia

Após dez anos, o IBGE inicia hoje (2/10/2017), em todo o país, a coleta de informações do seu 10º Censo Agropecuário, o principal e mais completo levantamento de dados sobre a produção agropecuária, florestal e aquícola brasileira. Até fevereiro de 2018, cerca de 19 mil recenseadores irão visitar em torno de 5,3 milhões de estabelecimentos agropecuários, nos 5.570 municípios brasileiros. Na Bahia, 2.403 recenseadores percorrerão por volta de 760 mil estabelecimentos, em todos os 417 municípios.

Foram adquiridos 20 mil DMCs em todo o país
Foram adquiridos 20 mil DMCs em todo o país

O Censo Agro é fundamental para atualizar, no máximo detalhamento geográfico possível, informações indispensáveis sobre um dos setores mais importantes da economia nacional e baiana. A agropecuária representa 5,5% do PIB brasileiro (2016) e 7,9% do PIB da Bahia (2014).

Todas as fazendas, sítios, roças, pequenas plantações e criadouros do país serão visitados. Serão coletados dados sobre o total de estabelecimentos; sua área; o quê e quanto produzem; o valor dessa produção; utilização de mão de obra e as características das pessoas que trabalham nesses locais; distribuição e uso das terras; emprego de irrigação; utilização de agrotóxicos; entre outros temas.

Os resultados do Censo Agro começarão a ser conhecidos em meados de 2018 e serão uma fonte única de informações insubstituíveis para a formulação e avaliação de políticas públicas, para estudos acadêmicos, desenvolvimento de projetos e decisões de investimentos públicos e privados.

A operação do Censo Agro, em nível nacional, tem um orçamento de aproximadamente R$ 770,3 milhões. É possível saber tudo sobre a pesquisa, acompanhar as notícias da operação e as divulgações dos resultados pelo site https://censos.ibge.gov.br/agro/2017.

Coleta será completamente digital e auxiliada por GPS

O projeto do Censo Agropecuário 2017 incorpora as mais modernas técnicas de atualização cartográfica e geoposicionamento. Toda a coleta será feita por questionário eletrônico, em Dispositivos Móveis de Coleta (DMCs), e auxiliada por navegação por GPS – o que vai facilitar o trabalho e permitir melhorias na qualidade da informação e no controle da cobertura territorial. Foram adquiridos 20 mil DMCs em todo o país; 3.308 deles estão na Bahia.

Recenseadores estarão identificados por crachás

Todos os recenseadores do Censo Agro terão crachás com foto e os números da carteira de identidade (RG) e da matrícula no IBGE. Poderão também ser identificados pelo uniforme (boné, colete e bolsa) e pelo próprio Dispositivo Manual de Coleta (DMC).

A identidade do recenseador poderá ser confirmada pelos seguintes canais: 0800-7218181, pelo site https://respondendo.ibge.gov.br e pela leitura do QRCode impresso no crachá – para isso, é preciso ter um smartphone com aplicativo de leitura de QRCode.

Para os grandes estabelecimentos agropecuários, que estão numa lista à parte e cuja coleta de dados não é feita pelos recenseadores, e sim pelos seus supervisores, haverá a possibilidade de responder o questionário do Censo Agro pela internet. São cerca de 40 mil estabelecimentos desse tipo em todo o país. As informações coletadas pelo IBGE são completamente confidenciais, protegidas pela Lei do Sigilo Estatístico, e não podem nem identificar os informantes, nem ser compartilhadas com nenhuma instituição pública ou privada.

Bahia é estado mais rural do país

A principal característica e desafio do Censo Agro na Bahia é a dimensão da operação. A Bahia tem o maior número de setores rurais, 12.117 (11,2% do total), ou seja, é o estado mais rural do país. Tem também o maior número de estabelecimentos agropecuários a serem recenseados, pouco mais de 760 mil, o equivalente a mais ou menos 15% do total do país.

Justamente por isso, tem o maior número de recenseadores, cerca de 2.400 ou 13% de todos os que trabalharão no Censo Agro. Eles terão como base postos de coleta em 143 municípios baianos.

Os pequenos e médios estabelecimentos dominam o setor agropecuário no estado. A Bahia tem o maior número absoluto de pequenos estabelecimentos, com menos de 10 hectares: 436.396, o que corresponde a mais da metade do total (57,3%) no estado. Quando se agregam os estabelecimentos até 100 hectares, chega-se a cerca de 700 mil estabelecimentos, 92,0% do total previsto.

Share

Leia Também

Turistas no Centro Histórico de Salvador: em agosto, serviços ligados ao setor  na Bahia seguiram em queda frente ao mês anterior (-0,7%), mas ainda mantiveram variação positiva frente ao mesmo mês de 2016 e no ano de 2017 (Foto: Adenilson Nunes/Secom)

Volume do setor de serviços cresce 3,8% de julho para agosto

O volume do setor de serviços na Bahia voltou a crescer 3,8% em agosto, frente …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 − seis =

Share