Capa > Economia Baiana > Codevasf recupera canais de projetos públicos de irrigação
No perímetro irrigado de Curaçá, os recursos ultrapassam R$ 4,2 milhões para atender cerca de 260 famílias de pequenos produtores (Foto: Divulgação/Codevasf)
No perímetro irrigado de Curaçá, os recursos ultrapassam R$ 4,2 milhões para atender cerca de 260 famílias de pequenos produtores (Foto: Divulgação/Codevasf)

Codevasf recupera canais de projetos públicos de irrigação

Produtores dos projetos públicos de irrigação Curaçá e Maniçoba, localizados em Juazeiro – na região Norte da Bahia –, terão melhor captação de água para suas atividades em lotes agrícolas irrigados. A Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) está investindo, por meio de sua 6ª superintendência regional, cerca de R$ 5,9 milhões na recuperação e na construção de canais de irrigação usados na agricultura irrigada desses projetos. Os recursos são oriundos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

No projeto Maniçoba, o investimento foi de R$ 1,7 milhão e beneficiará cerca de 620 famílias de pequenos agricultores. Foram recuperados 80% dos 126 quilômetros de canais. No perímetro irrigado de Curaçá, os recursos ultrapassam R$ 4,2 milhões para atender cerca de 260 famílias de pequenos produtores, além de atender a 17 lotes empresariais.

O gerente do Distrito de Irrigação Maniçoba, Valter Matias de Alencar, considera as intervenções importantes para o desenvolvimento agrícola. “A recuperação feita através da Codevasf foi muito benéfica para os produtores, que passaram a fazer um melhor aproveitamento da água. Além disso, conseguimos reduzir bastante o desperdício de água causado pelas infiltrações. Realmente foi uma ação que só trouxe pontos positivos para eficiência da irrigação de Maniçoba”, avalia.

De acordo com o analista em desenvolvimento Alaôr Granjeon de Siqueira, da superintendência da Codevasf em Juazeiro, os canais de irrigação que estão sendo restaurados têm mais de 40 anos de funcionamento. “Com o tempo, eles vão se deteriorando, o que prejudica a irrigação dos lotes. Com essa restauração de canais, conseguimos não só melhorar a produção, como também atenuar os impactos ambientais. Estamos trabalhando uma área por vez, para que os irrigantes não parem suas produções, e tenham água para suas lavouras assegurada”, conclui explica.

O superintendente regional da Codevasf em Juazeiro, Misael Aguilar Silva Neto, visitou recentemente o local onde a recuperação de um canal do perímetro irrigado de Curaçá está sendo realizada, e acompanhou parte do trabalho de concretagem. “Esse trabalho é vital para o bom funcionamento dos perímetros de irrigação, pois garante o abastecimento de água sem desperdício. Neste perímetro que estamos visitando (Curaçá) serão recuperados mais de 300 quilômetros de canais, e já realizamos 40% desse total”, destaca.

Curaçá

O projeto público de irrigação Curaçá está localizado em Juazeiro, a 75 quilômetros da sede do município, na BA-210. Ele possui área aproximada de 15,9 mil hectares, segundos dados da 6ª superintendência regional da Codevasf. Desse total, 4,2 mil hectares são irrigáveis, e a área cultivada está estimada em aproximadamente 4,1 mil hectares.

A área colhida foi de cerca de 3,6 mil hectares e alcança produção de 109,6 mil toneladas de alimentos, segundo dados levantados pela área de irrigação em 2016. O Valor Bruto da Produção do projeto chega a R$ 135,5 milhões, juntando-se as áreas empresarial e de pequenos produtores. Estes produziram cerca de 69,7 mil toneladas de frutas, sendo o coco responsável por 33,8 mil toneladas, a manga por 27,9 mil toneladas e a uva por 2,5 mil toneladas, gerando mais de 10 mil empregos. Em área cultivada, a manga é a principal cultura, com 1,9 mil ha, tendo como principais variedades a Tommy Atkins e a Palmer. Estima-se que a manga ocupe 49%, o coco 21% e a uva 14 % de toda área cultivada do projeto.

Maniçoba

Localizado na margem da BA-210, a cerca de 35 quilômetros da sede do município, o projeto público de irrigação Maniçoba também foi implantado no início da década de 1980, e possui atualmente área total aproximada de 12,7 mil há – mais de cinco mil ha são irrigáveis. A área cultivada ultrapassa quatro mil hectares, e a área colhida é de mais de três mil hectares.

Cerca de 319 irrigantes atuam no projeto. Segundo dados do Distrito de Irrigação, a produção anual passada foi de 282,4 mil toneladas, que totalizaram Valor Bruto de Produção de aproximadamente R$ 116,8 milhões, gerando cerca de 16 mil empregos.

No contexto da fruticultura no projeto, a manga é o carro-chefe em produção, com área cultivada de 3.7 mil hectares, plantados com as variedades Tommy Atkins, com 1,3 ha, e Palmer, com pouco mais de 360 ha. Outras variedades também são cultivadas, como Kent, Keit, Espada, Rosa e Haden. A cultura do coqueiro representa a segunda cultura de maior importância, tanto em área cultivada como em valor de produção. A espécie em destaque é o coco anão, mais resistente a pragas e de fácil manutenção e manuseio. A área cultivada estimada ultrapassa 518 ha e a área colhida é de pouco mais que 342 ha. Nos últimos anos, o valor bruto de produção vem seguindo uma tendência crescente. Em 2015, chegou a R$ 6,4 milhões e no ano de 2016 atingiu valor de R$ 7,2 milhões.

Share

Leia Também

Foram investidos mais de R$ 117 mil que vão beneficiar 56 famílias de pequenos produtores do município de Morro do Chapéu (Foto: Codevasf)

Codevasf incentiva a produção leiteira em Morro do Chapéu

A Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) fortaleceu a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 − um =

Share