Capa > Negócios no Campo > Projeto da Veracel e Ceplac reforça apicultura do Sul da Bahia
Projeto  trabalha os usos múltiplos da floresta para gerar renda para pequenos produtores
Projeto trabalha os usos múltiplos da floresta para gerar renda para pequenos produtores

Projeto da Veracel e Ceplac reforça apicultura do Sul da Bahia

No próximo dia 11 de julho, a empresa Veracel e a Ceplac entregam a 200 apicultores do Sul da Bahia o primeiro lote de abelhas rainhas de alta genética, produzidas no Núcleo de Apicultura e Meliponicultura da Ceplac, em Ilhéus. A iniciativa tem potencial para dobrar a produtividade atual das colmeias e faz parte do projeto Abelha Rainha, que beneficia sete associações de apicultores da região, com introdução de animais selecionados, além de assistência técnica, e do uso em comodato das áreas de florestas da Veracel como pasto apícola. A solenidade de entrega ocorrerá na sede do Sindicato Rural de Eunápolis, e, nos dias 12 e 13, os apicultores beneficiados participarão do curso de Manejo de Introdução de Rainhas, no município de Guaratinga.

De acordo com a especialista em Responsabilidade Social da Veracel, Izabel Bianchi, o Abelha Rainha é um projeto que oportuniza o uso múltiplo da floresta como valor compartilhado entre empresa e comunidade, contribuindo para a geração de renda de grupos organizados. “A produção e doação dessas rainhas resultantes de melhoramento genético é pioneira e única no Brasil, atualmente. Isso vai potencializar a apicultura no Sul da Bahia, aumentando a produtividade nas colmeias e a logística na produção. Hoje as rainhas nesse padrão são produzidas e trazidas de São Paulo, principalmente, a um valor médio de R$40 a R$50 por animal”, afirma. Na parceria entre a empresa privada e o órgão público, a Ceplac entra com a estrutura laboratorial e a Veracel com os custos operacionais.

A expectativa  é que a produtividade média nas colmeias passe dos atuais 35kg a 40kg de mel por ano para de 70kg a 80kg anuais por colmeia
A expectativa é que a produtividade média nas colmeias passe dos atuais 35kg a 40kg de mel por ano para de 70kg a 80kg anuais

Com a introdução das rainhas de alto padrão genético, a expectativa da Veracel e da Ceplac é que a produtividade média nas colmeias passe dos atuais 35kg a 40kg de mel por ano para de 70kg a 80kg anuais por colmeia. “Será uma verdadeira revolução na apicultura do Sul da Bahia”, vislumbra o engenheiro agrônomo Ediney de Oliveira, responsável pelo setor de Meliponicultura da Ceplac. Não existe hoje no Brasil um projeto semelhante, que garanta a distribuição gratuita desses animais”, diz.

Mercado – Atualmente, 20% do mel produzido no Sul da Bahia ficam na região, e os 80% restantes são exportados para países como Alemanha e Estados Unidos. “Infelizmente, o mel exportado não sai diretamente pela Bahia, mas por Santa Catarina e São Paulo, pela ausência de um entreposto habilitado para a exportação”, afirma Ediney Oliveira.

Izabel Bianchi, da Veracel, ressalta que a empresa já havia cedido em regime de comodato uma área para que a Associação de Apicultores de Eunápolis construa uma Casa de Mel, que tem oportunidades de evoluir para um entreposto com o selo do S.I.E e S.I.F.

O fato de ser produzido em áreas de plantio de eucalipto agrega ao mel sabor e cheiro especiais, e propriedades medicinais especificas, como a de serem excelentes expectorantes. “Esse é um diferencial de origem que pode ser trabalhado em uma marca, assim que for obtido o selo”, enfatiza Ediney de Oliveira.

Renda – Se bem manejada, com boa genética e em condições favoráveis de clima e ambiente, a apicultura pode ser um negócio bastante rentável, e hoje já representa a principal fonte de renda de diversas famílias na região. “Ela pode também ser uma atividade paralela, como é o caso de muitos associados assistidos pelo projeto, que possuem trabalho com carteira assinada e mantêm suas colmeias como complementação de renda”, afirma Ediney de Oliveira. Ele explica que um produtor com cem caixas de mel pode ter um retorno de, em média, R$8,7 mil ao mês.

Leia Também

A previsão é que a estrutura receba investimentos de R$ 6,5 milhões  (Foto: Daniel Thame/GOVBA)

Parque para desenvolvimento do cacau é lançado no sul da Bahia

Para inovar e fortalecer a cadeia produtiva do cacau e chocolate no sul da Bahia, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × três =