Capa > Economia Baiana > Setor atacadista e distribuidor da Bahia cresceu 3,1% em 2015
Cabal:  “Esta contração foi sentida, principalmente, no pequeno varejo de vizinhança"
Cabal: “Esta contração foi sentida, principalmente, no pequeno varejo de vizinhança"

Setor atacadista e distribuidor da Bahia cresceu 3,1% em 2015

O setor atacadista e distribuidor apresentou crescimento de 3,1% em 2015. Os dados foram apurados e analisados pela consultoria Nielsen em parceria com a Fundação Instituto de Administração (FIA) e acabam de ser divulgados pela Associação Brasileira de Atacadistas e Distribuidores de Produtos Industrializados (Abad). Na Bahia, o faturamento das 39 maiores empresas do ramo somou R$ 3,4 bilhões no ano passado, enquanto as 544 maiores empresas do país, presentes no ranking, totalizaram uma receita bruta de R$ 74,3 bilhões. O setor atende aos estabelecimentos varejistas que não têm volume de pedidos para adquirir produtos diretamente dos fabricantes.

O presidente da Associação dos Agentes de Distribuição da Bahia (Asdab), Antonio Cabral, enfatizou que mesmo com o crescimento em termos nominais, o setor apresentou queda no ano passado de 6,8% em termos reais, descontada a inflação. Ele lembra que o aumento do desemprego e a insegurança quanto ao cenário político-econômico vêm provocando retração no consumo. Segundo o IBGE, em 2015, houve uma redução de 4% no consumo das famílias e 6% na renda média. “Esta contração foi sentida, principalmente, no pequeno varejo de vizinhança, que é o principal cliente dos agentes de distribuição”, afirmou.

As 39 empresas baianas representaram 4,6% do faturamento no ranking das 544 maiores empresas segmento no país. A Bahia caiu da 5ª para a 7ª posição no levantamento, atrás de São Paulo (13,9%), Minas Gerais (12,6%), Rio de Janeiro (10,6%), Paraná (6,5%), Maranhão (6,5%) e Santa Catarina (4,6%). Antonio Cabral destacou a necessidade de aumentar a competitividade do setor no estado, com uma nova política tributária para a Cadeia do Abastecimento, que proporcione o crescimento do setor, aumento da arrecadação estadual, queda na sonegação e a geração de novos empregos.

Empresas – Estima-se que o setor atacadista e distribuidor baiano reúne cerca de 600 empresas, que atendem a mais de 65 mil pontos de venda, entre pequenos e médios estabelecimentos varejistas de todo o estado. Conta com uma frota de mais de 13 mil veículos. Em todo o Brasil, a estimativa é de que mais de cinco mil empresas atuam no setor, com faturamento de R$ 218 bilhões (Abad/Nielsen 2016). Segundo a consultoria Nielsen, 95% dos pequenos mercados (de um a quatro checkouts) e 40% dos supermercados médios (de cinco a 19 checkouts) são abastecidos por empresas atacadistas distribuidoras.

Share

Leia Também

O presidente da Asdab, Antônio Cabral Filho, comemorou a escolha de Salvador para sediar o encontro (Foto: Mario Bittencourt/Divulgação)

Bahia sedia evento de lideranças do setor atacadista distribuidor

Presidentes e executivos de associações do setor atacadista e distribuidor de todo o país estarão …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete − 10 =

Share