Capa > Economia Brasileira > Queda na atividade da construção civil se intensifica em abril
A fraca atividade do setor da construção mantém os empresários pessimistas  (Foto: Dênio Simões/AG. Brasília
A fraca atividade do setor da construção mantém os empresários pessimistas (Foto: Dênio Simões/AG. Brasília

Queda na atividade da construção civil se intensifica em abril

O ritmo de queda na atividade e no emprego da indústria da construção se intensificou em abril, informou hoje (20) a Confederação Nacional da Indústria (CNI). O índice de nível de atividade registrou 36,4 pontos no mês passado ante 37,5 pontos em março, de acordo informações da pesquisa Sondagem Indústria da Construção.

O indicador de emprego assinalou 35,7 pontos frente aos 36,6 pontos em março. Os indicadores variam de zero a 100. Quanto mais abaixo de 50 pontos, maior e mais disseminada é a retração na atividade e no emprego.

O nível de atividade em relação ao usual para o mês registrou 26,4 pontos em abril. A utilização da capacidade de operação na indústria da construção ficou em 54% em abril, atingindo o piso da série histórica, iniciada em janeiro de 2012. Além disso, o valor está 12 pontos percentuais abaixo da média histórica.

Pessimismo – Segundo a CNI, a fraca atividade da indústria da construção mantém os empresários pessimistas em maio. No entanto, parte das expectativas para os próximos seis meses é menos negativa do que em abril. O índice de expectativa sobre o nível de atividade subiu de 39,7 pontos em abril para 40,6 pontos em maio e o indicador de expectativas sobre compra de insumos e matérias passou de 38,3 pontos para 39,7 pontos. O índice de número de empregados ficou praticamente estável ao passar de 38,2 pontos para 38,4 pontos no período e o índice de expectativa sobre novos empreendimentos e serviços se manteve inalterado em 37,7 pontos.

O índice de intenção de investimento assinalou 23,2 pontos em maio, o menor valor da série histórica iniciada em novembro de 2013. O levantamento foi feito entre 2 e 12 de maio com 607 empresas, das quais 191 são pequenas, 274 são médias e 142 de grande porte. (Agência Brasil)

Share

Leia Também

O setor agrícola liderou a geração de empregos com carteira na Bahia  (Foto: Jonas Oliveira/ANPr)

Bahia gerou 2.997 novas vagas com carteira assinada

A economia baiana gerou no mês de setembro 2.997 vagas de trabalho com carteira assinada. …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 + 6 =

Share