Capa > Tecnologia > Mercado para o uso da tecnologia drone ultrapassa US$ 127 bi
As soluções tecnológicas no uso de drones variam de acordo com as necessidades dos diferentes setores
As soluções tecnológicas no uso de drones variam de acordo com as necessidades dos diferentes setores

Mercado para o uso da tecnologia drone ultrapassa US$ 127 bi

Estudo elaborado pela PwC Europa – Clarity from above – revela que o mercado mundial de soluções tecnológicas com o uso de drones ultrapassa US$ 127 bilhões. O setor que mais demanda esta tecnologia é o de infraestrutura (US$ 45,2 bi), seguido de agricultura (US$ 32,4 bi), transportes (US$ 13 bi), segurança (US$ 10,5 bi), entretenimento (US$ 8,8 bi), seguros (US$ 6,8 bi), telecomunicações (US$ 6,3 bi) e mineração (US$ 4,3 bi).

As diversas soluções tecnológicas no uso de drones variam de acordo com as necessidades dos diferentes setores da indústria, da agricultura e de serviços. Vão desde o fornecimento de dados em tempo real sobre o andamento ou monitoramento de uma grande obra, como uma hidrelétrica, passando pela pulverização de produtos em grandes plantações de soja ou em uma determinada região, até a entrega de remédios em áreas de difícil acesso.

Para chegar ao valor de US$ 127 bilhões, a PwC usou como base de cálculo o valor dos serviços demandados pelas empresas e que poderão ser substituídos, em um futuro muito próximo, pela tecnologia dos drones.

Centro de excelência – O impacto dessa tecnologia revolucionária fez com que a PwC criasse um centro de excelência global – Drone Powered Solutions – na Polônia, que usa drones e a análise de dados a fim de auxiliar seus clientes no desenvolvimento de seus negócios.

A decisão pela Polônia deveu-se ao fato de o país ser, desde 2013, o primeiro a regulamentar o uso de drones para uso comercial, com leis e instituições responsáveis pela regulação e controle, o que ainda é uma lacuna no Brasil. Nesse quesito, o Brasil encontra-se em 10º num total de 15 países avaliados nos cinco continentes.

Para chegar ao valor de US$ 127 bilhões, a PwC Europa usou como base de cálculo o valor dos serviços demandados pelas empresas

Com a evolução no uso de drones, que iniciou como um hobby e que avança para o uso comercial, aspectos como a licença para obtenção e operação do aparelho, restrição de uso do espaço aéreo, treinamento dos pilotos, além da coleta e o armazenamento de dados, entre outros, passaram a demandar respostas urgentes dos órgãos da aviação civil governamentais.

No caso brasileiro, o Departamento de Controle do Espaço Aéreo, organização de comando da Aeronáutica, não exige o registro de UAVs (veículos aéreos não tripulados), caso dos drones, ao contrário de outros países, como a Rússia, que solicita plano de voo incluindo uma descrição dos procedimentos que o piloto adotará em caso de uma emergência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 + 8 =