Capa > Economia Brasileira > Tombini: inflação nunca saiu de controle depois do plano de metas
Tombini encerrou sua fala reafirmando suas convicções sobre o sucesso do regime (Foto: AG. Brasil)
Tombini encerrou sua fala reafirmando suas convicções sobre o sucesso do regime (Foto: AG. Brasil)

Tombini: inflação nunca saiu de controle depois do plano de metas

O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, disse hoje (20) que desde a implementação do regime de metas que vem sendo adotado pelo governo federal, a inflação sempre esteve sob controle, mesmo tendo, em alguns momentos, ultrapassado o limite superior da banda, de 6,5%.

As declarações do presidente do Banco Central, que deixará o cargo em breve, foram dadas durante a solenidade de abertura do XVIII Seminário Anual de Metas para a Inflação, que acontece hoje na sede da instituição, no Centro do Rio.

Em seu discurso, provavelmente um dos últimos antes de ser ser substituído por Ilan Goldfajn, já indicado pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles para a instituição, Tombini lembrou que o regime de metas está “perto de completar 17 anos” e que “certamente deixará importantes contribuições para a contínua evolução do regime de metas para a inflação brasileira”.

“Pessoalmente, tenho a dupla satisfação de ter participado do seu desenvolvimento desde o início e, também, de constatar o reconhecimento de sua importância pela sociedade brasileira”. Na avaliação do presidente do Banco Central, a robustez do regime foi “testada e aprovada” em vários ciclos monetários nos últimos anos, sob os mais diferentes cenários econômicos e sob a influência de fatores não econômicos que, por vezes, se mostraram bastante severos.

Regime de metas – “No cenário internacional, penso que podemos concluir que o regime de metas hoje encontra amplo apoio nas mais diferentes jurisdições. No Brasil, em uma análise retrospectiva, considero que o regime de metas, adotado pelo país como um dos pilares do tripé macroeconômico que sustentou a estabilização e o crescimento, também superou críticas e vem prestando um bomserviço à nação”, disse.

Tombini avaliou que o sistema, seja no ciclo imediatamente posterior à sua adoção, quando o país enfrentou um período conturbado pós-adoção do regime de câmbio flutuante, na esteira de uma crise de balanço de pagamentos, seja em ciclos de crescimento econômico ou, ainda, em fases desafiadoras, “a manutenção dos princípios do regime permitiu que a inflação fosse mantida sob controle”.

Ele encerrou seu pronunciamento reafirmando suas convicções sobre o sucesso do regime, ainda que, em algumas aferições anuais, a inflação tenha ultrapassado o limite superior do intervalo de tolerância definido pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), “situação prevista e administrável no âmbito do próprio regime de metas”. Segundo Tombini, a inflação em si jamais fugiu ao controle do Banco Central nesses dezessete anos do regime de metas.”

Share

Leia Também

Queda da inflação estimula o consumo e aumenta o poder de compra dos consumidores (Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)

Mercado financeiro volta a prever inflação abaixo da meta

O mercado financeiro voltou a prever inflação abaixo do piso da meta para este ano. …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze − sete =

Share