Capa > Economia Brasileira > Farmácias: faturamento das grandes redes do país cresce 14%
Somente em fevereiro, as vendas de remédios movimentaram R$ 2,9 bilhões no país
Somente em fevereiro, as vendas de remédios movimentaram R$ 2,9 bilhões no país

Farmácias: faturamento das grandes redes do país cresce 14%

As grandes redes do varejo farmacêutico nacional faturaram R$ 6 bilhões nos dois primeiros meses deste ano, de acordo com a Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma). O montante é 13,91% superior ao registrado no mesmo período de 2015. No acumulado dos últimos 12 meses, o movimento foi de R$ 36,68 bilhões, um aumento de 11,26% na comparação com o período anterior.

Somente em fevereiro, as vendas movimentaram R$ 2,9 bilhões, índice 18,5% superior ao do mesmo mês do ano passado. A pesquisa, conduzida pela Fundação Instituto de Administração da Universidade de São Paulo (FIA-USP), revelou que a categoria de não medicamentos (artigos de higiene, perfumaria e bem-estar) foi o grande responsável pelo expressivo crescimento. Até fevereiro de 2016, as vendas deste segmento somaram R$ 2,1 bilhões, 35% do total comercializado no período. Este valor é 14,26% maior que os dois primeiros meses de 2015.

“A resiliência do setor farmacêutico, em função de fatores como o envelhecimento populacional, representa um estímulo natural para o consumo. E as grandes redes, pela sua maior eficiência na gestão de estoques, na diversificação da oferta de produtos e pela abrangência geográfica, tornam-se um canal de fácil acesso para a população”, avalia o presidente executivo da Abrafarma, Sérgio Mena Barreto.

Genéricos – No período, os medicamentos representaram um volume total de R$ 3,9 bilhões, contra pouco mais de R$ 3,4 bilhões no acumulado nos meses iniciais de 2015, uma alta de 7,48%. As vendas em unidades de medicamentos e não medicamentos subiram de 337 para mais de 352 milhões de unidades. Já o montante de lojas em operação passou de 5.617 para 5.969 e o número de pessoas atendidas chegou a 67,23 milhões.

Ainda de acordo com o estudo, a venda de genéricos somou mais de R$ 688 milhões, 13,66% superior que janeiro e fevereiro do ano passado. Ao todo, foram vendidas mais de 45 milhões de unidades desta categoria.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 + dezoito =

Share